segunda-feira, 17 de maio de 2010

Respeito ao indivíduo

Antes de ser mãe, quando eu via bebês manhosos ou crianças "chatinhas", eu achava que aquilo era resultado apenas de maus hábitos e/ou má educação proporcionados pelos pais.

Hoje percebo que as coisas não são bem assim. O Gustavo talvez entre na categoria dos bebês manhosos para muita gente.

Um exemplo é que ele ama ficar no colo (e que bebê não gosta, né gente?), mas não pode ser de qualquer jeito. Não podemos simplesmente ficar sentados com ele no colo. Ele reclama. Temos que ficar andando, mostrando as flores do jardim, o quadro colorido na parede, as torneiras do quintal (vai entender este encantamento que ele tem pelas torneiras), os aviões do móbile e etc. Será que nós é que estamos deixando ele mal acostumado? Até concordo que alguns hábitos que os bebês adquirem (bons ou maus) podem ter sido cultivados pelos pais.

Mas o que dizer do temperamento de cada bebê?

Fazendo a penosa comparação dele com outros bebês da mesma idade, tenho percebido que ele é mais agitado do que os outros. Ou vendo de maneira positiva, é mais atento e mais ávido por novidades. E o que fazer com relação a isto?

Respeitar!

Um ser humano é completamente diferente do outro, independente da idade. Com filhos também é assim: eles não são como a gente quer que sejam. Eles tem sua própria personalidade.

E este é o grande desafio de criar filhos: conhecê-los e tentar mudar o que tiver de mudar e manter o que tiver que manter, sem traumas e sem conflitos!

11 comentários:

João ou Julia ? disse...

Assino embaixo de tudo o que falou ! Porém , acredito que certos tipos de comportamento , tipo ter que ficar com ele no colo e não poder ficar sentado , somos nós que colocamos , sem querer , mas com certeza somos nós, com essa idade eles já tem total controle das nossas emoçoes e sabem que podem nos manipular . Por isso se insistirmos em não ficar em pé por exemplo , uma hora ele vai entender , que quem dá o direcionamento a vidinha dele por enquando é a gente !

Paloma, a mãe disse...

É mesmo, Fabi, por isso que não dá para seguir manual. OS bebês têm personalidades distintas. E é sempre um desafio para nós compreendê-los e respeitá-los dentro das nossas regras familiares.
Beijos

Fabiola disse...

Fabi,
Depois que a gente tem filho passa a avaliar melhor nossos comentários, né?? A gente faz o possível, cria com o maior amor, carinho e compreensão.. e as pequenas criaturas, de repente, transformam-se em seres birrentos!!
Eu mesma nem sabia que existia a famosa "terrible two".. agora estou compreendendo um pouco do que me espera!! ai, ai...
Bjinhos!

Sarah disse...

É verdade Fabi. Tem coisas que a gente critica antes do bebê nascer, mas só vê mesmo como é a realidade na prática. Bento, por exemplo, não dorme bem com barulho. Desde pequenininho preciso priorizar o silêncio, mesmo para as sonecas diurnas. Os barulhos normais da casa durante o dia ele nem liga, mas se há algo diferente... Como ele fica na escolinha durante o dia, tem dormido pouco lá, pois ouve as outras crianças e quer brincar também, mesmo que esteja com sono. E não há como pedir cuidado especial para ele cochilar, afinal há outras crianças na escola também. Enfim, o jeito é respeitar a personalidade mesmo, e adequá-la dentro da realidade de cada um!

Juliana disse...

Fabi, a minha mãe sempre fala que ser mãe é cuspir pra cima. Muitas coisas que critiquei em outras mães hoje eu faço sem pestanejar, e principalmente percebi que cada bebê tem o seu jeito próprio e não tem muita coisa que a gente possa fazer pra mudar o temperamento deles. Um beijo pra vcs.

Renata disse...

Concordo com vc. Eles são como são e não como a gente quer que sejam!! E temos que aprender a respeitá-los!!!
Tenho pensado bastante nisso depois que a Nana nasceu. Estamos tão acostumados com o jeitinho do André, que vamos ter que aprender a lidar com o jeitinho da Nana, e entender que ela é diferente dele.
beijinhos, Re

Lia disse...

Verdade, os bebês têm seu temperamento próprio. Tenho uma amiga, mãezona de dois, que diz assim: "As pessoas dizem que quando a criança dá piti a culpa é dos pais. Gente: NÃO É!" Às vezes é mesmo. Mas muitas vezes não.
(Li por aí que esses bebês enérgicos, que dão um trabalhão pras mães, se tornam grandes líderes depois ;)

Camila Bandeira disse...

O blog ficou lindo! Quanto às diferenças, vejo muito isso em relação a Gabi e Pedro. Mesmo sendo irmãos, já se percebe a diferença entre eles. De gostos, de sono (ela dormia muito mais), de fome (ele tem muito mais), enfim, cada um tem mesmo sua individualidade, desde sempre e nós mães temos mais que respeitar mesmo. Bjo

Anna disse...

Depois da maternidade a gente dobra a língua pra muita coisa: essa coisa mesmo da pirraça eu dizia que meu filho NUNCA ia fazer...

Piada, né?

Tá ele aí: chegando aos dois anos e descubrindo a sua individualidade. Uma birra atrá da outra.

Vivendo e aprendendo!

beijos

Obrigada pelo recadinho lá no blog!

Vivian disse...

Concordo com cada palavra! Crianças têm suas individualidades e temos que respeitá-las.
Gabriel é fissurado por torneiras até hoje... rs
Bjos

Luciana disse...

Fabi, seu blog ta lindo!!!

Adorei o post. O Nic (que ja contei que tambem amava colo e a gente dava em livre demanda) tambem nao aceitava que a gente sentasse. E ele inclusive tambem nao gostava de qualquer posição, tinha que ser em posicao vertical, olhando pra fora e a gente passando um braço por entre as pernas e a mao no peito dele. Deu pra entender? Era ASSIM que ele gostava.

Por isso, desde que ele era pequenininho que vem nos dando a oportunidade de praticar a aceitacao e respeito pelo outro, ja que um dia ele vai crescer e vai ter ideias e gostos proprios que muitas vezes conflitarao com os nossos, ne?

E vamos abrindo nossa mente!!!

Beijos!

Related Posts with Thumbnails