sexta-feira, 29 de julho de 2011

O Balão Vermelho

Segunda-feira estávamos na sala, eu (ainda me recuperando), minha mãe (organizando os brinquedos do Gu) e o Gu (ajudando a vovó) e a TV estava ligada.

Era hora do Festival Internacional de Cinema Infantil e começou a passar um filme onde um garoto encontra um balão vermelho preso a um poste. Ele sobe no poste, pega o balão e o balão se afeiçoa a ele e passa a segui-lo por onde ele vai.


Minha mãe falou sobre o balão para o Gustavo e ele olhou, mas não deixou o que estava fazendo.

No decorrer do filme, ele foi prestando mais atenção e minha mãe foi narrando algumas coisas (o filme quase não tem falas).

De uma altura pra frente, ele se sentou e não tirou mais os olhos da TV, até o filme acabar (fiquei impressionada, porque ele não costuma parar por nada que não seja o Júlio e sua turma)

Mas não era pra menos. O filme é leve, encantador e cheio de poesia.
E fez o maior sucesso com o meu pequeno sonhador!

O Balão Vermelho é um filme francês, foi produzido em 1956 e tem pouco mais de meia hora de duração. Foi premiado em Cannes e ganhou um Oscar.

Mas independente de qualquer premiação, eu adorei e recomendo!


Um trechinho:


P.S E já que ele gostou e prestou atenção no filme, no outro dia eu coloquei  Babies pra minha mãe assistir. O Gustavo ficou no colo dela, praticamente imóvel a maior parte do tempo! Das outras vezes que tentei, ele não demonstrou muito interesse. Será que é mérito da vovó?

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Para quem mora em Brasília ou no Rio

Mulherada da capital federal e da cidade maravilhosa, aqui vai uma dica pra vocês!



O Grupo Sobrevento realiza o Primeiro Teatro: Ciclo Internacional de Teatro para Bebês, nos CCBBs Rio de Janeiro e Brasília. A programação traz algumas das mais destacadas companhias e artistas, de três países europeus, que se dedicam ao teatro para a primeira infância (Laurent Dupont, da Cia. Acta – França, Cia. La Casa Incierta – Espanha, Antonio Catalano – Itália) em apresentações, palestras e oficinas.


Dirigido especialmente a crianças de 6 meses a 3 anos, reunindo trabalhos de diferentes companhias que acreditam na capacidade poética inata do ser humano, apresenta um Teatro provocador, inesperado, questionador e ainda garante aos bebês o seu direito de integração à cultura e à sociedade.


A mostra acontece de 26 de julho a 21 de agosto e a entrada é franca!
 
Para quem se interessar, os detalhes estão no site:  www.bb.com.br/cultura

Escorregar, brincar, dormir, chorar e mamar

Apesar da ventania, o céu estava tão azul que eu não resisti e sábado de manhã te levei no parquinho. E nós brincamos viu, filho! Subi no escorregador com você incontáveis vezes (aquela escadinha vazada e pouco segura ainda não é pra você). Desci com você no colo algumas vezes e depois deixei você descer sozinho. Meu Deus! Que alegria a sua! Ainda mais porque, já que eu estava lá cima, eu descia no escorregador vizinho, e você se acabava de tanto rir.
Por você, a gente não almoçaria e você não dormiria. Podíamos passar o dia todo subindo e descendo que você estaria feliz!
Voltamos pra casa contra a sua vontade, claro!

E foi naquele estado de imundície que você foi conhecer a sua bisavó. Que bela primeira impressão hein?

Quando você voltou de lá, estava bem cansadinho, mamou e quase dormiu. Te despertei para o almoço e a tarde, como era de se esperar você dormiu bem e bastante (quase 4 horas!!!).

Então você acordou e fomos na casa da Inaê e do Davi. Você brincou, brigou, comeu, chorou, mamou e além de tomarmos o café da tarde super gostoso que a Inaê preparou, ainda ficamos para a pizza!
Você dormiu mais uma noite sem acordar.

Sobre o domingo, já falei um pouco aqui. A novidade é que vovô e vovó de Minas, que já não te viam há mais de um mês vieram passar o fim de domingo com a gente e a sua única refeição sólida foi mesmo a pera da manhã. De resto muito peito, era só o que você queria. Voltei a ter um RN em casa! :-)

Como já era de se esperar, o bom ritmo das noites bem dormidas, foi quebrado. De domingo pra segunda, você acordou algumas vezes. Mas foi só aquela noite.
Vovô foi embora segunda, mas vovó ficou com a gente, porque segunda-feira, foi o meu dia não me sentir bem. Senti um cansaço que não é comum e tive diarréia o dia todo.
Agora, tirando a sua manha, que eu acho que tem a ver com a presença da vovó, tudo voltou ao normal!

domingo, 24 de julho de 2011

Sobre a ausência

Na semana anterior a viagem do pai, o Gustavo estava bem agitado. Acordava muito nas madrugadas, demorava pra voltar a dormir e dormia pouco de dia.

Então o pai viajou e desde então (e lá se vão 7 dias) ele não acordou de madrugada nenhuma vez. Acordou cedo no primeiro dia e não quis mais dormir, mas considerando as mais de 9 horas de sono ininterrupto, me dei por contente!

E a coisa foi evoluindo e ele foi acordando, a cada dia, um pouco mais tarde.

As sonecas da tarde também estão bem longas. Mas nenhuma superou a de ontem, quando ele dormiu quase QUATRO horas! Eu nunca fui destas mães que vai no berço pra ver se o bebê está respirando e ter certeza que está tudo bem. Mas ontem eu fiz isto! Achei que ele estava dormindo demais! Ele acordou (quase 6h da tarde) e achei que a noite seria complicado fazê-lo dormir! Me enganei. Dormiu fácil e direto até 8:30h da manhã de hoje.

Hoje, pela primeira vez depois da viagem, ele foi procurar o pai na cama, como ele sempre fazia.
Daí descemos, ele brincou um pouco e comeu uma pera. Estava animadinho!
Mas logo começou a ficar bem manhoso e percebi que estava febril. Algum tempo depois fez um mega coco mole. Então começou a pedir peito e colo e aos poucos foi ficando amuado. Coloquei o DVD que ele ama e ficamos assistindo juntos. Ficou no meu colo quietinho um tempão. Depois deitou no chão. E enquanto fui fazer o almoço, ele dormiu.

Na minha opinião, isto é saudade!





segunda-feira, 18 de julho de 2011

Minha mãe que disse

Eu não sou de fazer propaganda por aqui, ainda mais quando não é por minha própria iniciativa.

Mas estas meninas merecem!

A Roberta é pura diversão e vai até deixar o marido aparecer no blog fazendo striptease mostrando a  receita secreta dos biscoitos naturebas (sem cortes...hehehe) e a Flavia é uma queridona de marca maior que faz a gente se sentir em casa, mesmo estando lá no espaço do Astronauta.

E além de divulgar o super mega blaster blog que reune a mãezarada toda deste mundão cibernético de meudeus, ainda corro o risco de ganhar alguma coisa! ?!? Comassim?

Aí não dá pra não fazer propaganda né, gentem?

E não é em um post qualquer, como permitia o regulamento, não.
É propaganda descarada mesmo!

Você já viu o site? Não?  Passa  !
Além de tudo, o blog ainda tem uma ilustração linda da Lu talentosa !

É isto!
Beijos nas meninas, abraços do Galileu (ih...empolguei)

***

E é claro que eu estou participando do sorteio de lançamento do Minha Mãe que Disse!

domingo, 17 de julho de 2011

Jardinagem, jantar e despedida

Foi mais um fim de semana deliciosamente normal. De jardinagem, brincadeiras e passeios a pé que você tanto gosta. Aliás jardinar comigo, é uma das coisas que prende a sua atenção como poucas outras. Passamos a manhã de sábado fazendo isto e você estava feliz como um pinto no lixo.

Teria sido tudo como sempre é, se não fosse por dois motivos.

Primeiro foi que eu e o papai saímos sozinhos para jantar no sábado a noite! 
É filho, depois de dezoito meses e meio, nós estávamos precisando disto (a única vez que saímos sozinhos antes disto, foi para ir ao show do U2, mas um jantarzinho a dois é outra história) . Deixamos você com a vovó às 20h e às 22h fomos te buscar. Para nossa surpresa, você estava acordado, nos esperando para fazermos juntos, o seu ritual de dormir.
Foi muito bom poder jantar tranquilamente, saborear a comida sem pressa e sem ter que sair correndo atrás de você. Eu não trocaria a vida que eu tenho hoje, pela vida que eu tinha antes de você, por nada deste mundo! Mas de vez em quando é bom ter este tempo pra passar só com o seu pai! Um dia você vai entender isto.

O outro motivo é que o seu pai foi viajar de novo. E desta vez, a despedida foi muito mais difícil. Da primeira vez que ele viajou você ainda era muito bebê, não interagia muito e não entendia o mundo da forma como você entende hoje. Ele não sentiu tanto e acho que você também não. Mas agora, você está muito mais esperto e o seu pai tem "tarefas" muito específicas na sua rotina. Isto sem contar que você tem nítida adoração por ele. Sempre que ele chega do trabalho, eu sou praticamente excluída das brincadeiras. Um exemplo é que você sempre quer o papai dentro da sua barraca com você! Eu que me atreva a colocar os meu pés lá dentro, que sou prontamente "convidada a sair". Eu acho lindo. Adoro ver as suas demostrações de amor por ele. Por outro lado, sinto um aperto no peito ao tentar entender como você vai reagir a esta ausência! Hoje enquanto ele entrava no táxi, você, chorando, esticava os bracinhos e o chamava com as mãos.
Espero que eu tenha energia e paciência suficientes para suprir e entender a sua saudade!

Esqueci de mencionar que você acordou na madrugada de sábado para domingo e ficou muito tempo acordado, coisa que não acontecia já há bastante. Acho que foram mais de duas horas, sei lá. Daí, diante de suas reclamações e "conversas" incessantes, o papai também acordou e foi ver o que estava acontecendo. Ficamos os três deitados apertadinhos na cama de solteiro do seu quarto. Como nenhum de nós conseguiu dormir lá, dedidimos levá-lo para o nosso quarto, onde dormimos os três juntos até quase nove horas da manhã! Que delícia! Tá bom ou quer mais?

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Só eu e ele!

Hoje a babá não veio.
Ela tinha um problema pra resolver e disse que esperava resolver tudo na parte da manhã, mas me ligou quase na hora do almoço falando que não tinha previsão da hora que estaria liberada!

Em resumo, fiquei sozinha com o Gustavo e obviamente não trabalhei.

Mas olha, vou dizer uma coisa, tirando o fato de que eu vou ter que trabalhar a noite e provavelmente, no fim de semana também, para respeitar o prazo do meu projeto e entregar tudo na segunda-feira, eu até que gostei!!!

Passamos o dia juntos, brincamos, ouvimos música, dançamos e passeamos!
Eu bem que tava com saudades disto.
Claro que temos os fins de semana, mas é diferente. Não sei explicar.
Vocês me entendem?

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Fim de semana

Filho,

Hoje tive que ir para São Paulo e o dia na empresa foi bem corrido. Então não tive tempo de escrever sobre o nosso fim de semana. E agora já é tarde e estou cansada, mas vou deixar um resumo aqui pra gente!

No sábado fomos no encontro do Ishtar, que teve como tema:  "Planejando o parto: fazendo escolhas e como lidar com mudanças". Eu falei sobre a mudança de planos pela qual passamos quando você nasceu, filho. Tinha mais mães pra dar os seus depoimentos, do que gestantes para ouvir. Talvez pela necessidade que temos de desabafar sobre as frustrações, quando as coisas não saem exatamente como planejamos. E enquanto eu falava, você brincava. Brincou muito! Com o cavalinho de madeira (inclusive, você, literalmente, caiu do cavalo), com os carrinhos do amigo Henrique e do novo amigo Gabriel e com os bonequinhos de pano da Camila.

Depois voltamos pra casa para buscar o papai e fomos almoçar fora (coisa que tentamos fazer na semana passada sem sucesso). Voltamos e passamos uma tarde tranquila em casa. A noite fomos na festa da Juju. Fez um frio de doer os ossos e o espaço onde ficavam os brinquedos, era todo aberto. Mas quem disse que criança se intimida com o frio? Você cansou de subir e descer do escorregador! Cansou de pular na cama elástica. Cansou de brincar na casinha! Cansou de correr pela grama. E com tanta energia e corre corre, nem dava mesmo pra sentir frio, né, meu amor?

Saímos à francesa, antes mesmo do parabéns, porque já era hora de você dormir e você já estava cansado e com sono. Foi uma boa noite de sono pra todos nós! Você dormiu bem e feliz!

Domingo de manhã, fomos comprar os ingredientes para o almoço e frutas para a semana. A tarde você fez o seu soninho de sempre e quando acordou, seus avós vieram te ver. Você brincou muito com o vovô, como sempre. Já no fim da tarde, fui fazer um bolo (sim, de novo) que o papai tinha pedido. Eu mal sabia que a diversão do dia estava apenas começando pra você! A preparação da massa, você quis ver, claro! Depois coloquei na forma, pus no forno e fui brincar com você. Passado algum tempo, senti um cheiro de queimado. Fui ver o bolo e o bendito tinha crescido demais e transbordou. Caiu massa na chapa do forno e já tinha virado brasa e por isto tinha fumaça pra todo lado.

Toda a movimentação que se sucedeu depois foi a MAIOR DIVERSÃO pra você!  O papai pegou o ventilador pra espalhar a fumaça e você ficava abanando a mãozinha pra "ajudar" o ventilador, eu ficava abrindo e fechando o forno pra ver a quantas estava a situação, você ficava abanando a mãozinha pra "esfriar" o calor, eu retirei as grades pra limpar, o papai retirou a chapa e sob os seus olhares, levou para quintal, pegou mangueira, lavou a chapa e guardou a mangueira (por você, a gente ficava usando a magueira o resto da noite). Recolocamos tudo, limpei o chão, lavei as louças, e depois disto tudo nós ficamos cansados e, pior, sem bolo! 
Você, claro, ficou maravilhado com tamanha movimentação numa tarde ordinária.

Depois que todo o furdunço acabou, quando já estava tudo limpo e sem fumaça, você só sabia fazer uma coisa: apontava para o fogão e dizia "Bô"!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Final de semana (Novo marcador)

Filho,

A partir de agora, vou tentar escrever um resumo sobre os nossos finais de semana, mesmo que sejam só coisas corriqueiras (que não deixam de ser especiais), pra um dia eu reler e morrer matar as saudades.
Sábado de manhã nós saímos para andar de bicicleta, só eu e você, porque o papai não gosta - quando ele era criança, sofreu um acidente, ficou traumatizado e agora bicicleta pra ele, só nas aulas de spinning. Já você, é um aventureiro. Desde que comprei a cadeirinha, você ficou rodeando a bicicleta e logo de cara gostou de passear comigo na magrela. Você só não gosta de colocar o capacete e eu te entendo!  É incomodo mesmo.
Quando chegamos em frente de casa, você queria mais, mas eu estava cansada (recomeçar a andar de bicicleta sozinha já difícil, com uns 12 kilos extras na garupa, é mais difícil ainda). Você começou a resmungar assim que eu abri o portão. Então deixei a bicicleta na garagem e fomos andar a pé. Fomos visitar a Mel, nossa amiguinha de quatro patas que você tanto gosta e aí, como de costume, demos a volta completa no quarteirão.
Quando voltamos, fui recolher as folhas e galhos da helicônia(*) que podei na semana passada e que desde então estavam amontoadas na varanda. E você como sempre, foi um ótimo ajudante, pegando os galhos e colocando na sacola. Depois resolvi podar mais algumas folhas desta e de outras plantas e você sempre por perto, com o olhar super curioso e inquieto!

(*) Sim, Cintia! Temos uma helicônia no jardim que cresce a olhos vistos!

Eu, grávida de 7 meses, em outubro de 2009 e um projeto de planta ali no fundo.


Gu, em abril 2011, observando a pequena (e linda)
mata em que a helicônia se transformou.
















Bem, depois de darmos uma de jardineiros, o seu pai te levou na casa da vovó. Você deve ter brincado mais um tanto por lá e quando voltou estava bem cansado e com fome. Não quis saber de esperar o almoço. Pediu para mamar e acabou dormindo, bem antes do seu horário de costume. Mas dormiu pouco tempo e ficou o resto do dia muito manhoso e chorão. A tarde fomos ao shopping novo. Uma moça tinha me dito que em todos os sábados de julho haveria contação de histórias, teatrinho de fantoche, oficina de pintura e outras atividades para crianças. Mas não tinha nada disso :-(   E tivemos mesmo que ficar subindo e descendo de elevador e escada rolante com você!
Também aproveitamos para pesquisar sobre nossas férias, em uma agência de viagem que tem por lá. A moça te deu folha e caneta, o que nos rendeu alguns minutos de tranquilidade, enquanto conversávamos.

Voltamos pra casa e comecei a fazer um bolo de cenoura, que fazia dias que eu estava com vontade de comer. Como você é muito curioso e certamente pediria para o seu pai ficar com você no colo, pra você ver todo o processo, coloquei sua mesinha na cozinha e fiz tudo sobre ela. Assim você pôde (não se ainda tem acento) ver tudo, ficou feliz e o seu pai ficou descansado!
Enquanto o bolo assava, fizemos café fresquinho com leite vaporizado, que eu adoro!
Quando estamos os três juntos, na hora do café, você sempre prefere o colo do seu pai por um motivo muito simples: ele gosta de molhar a bolacha no leite com café e você adora imitá-lo! Você pega a bolacha, tenta quebrar, como ele faz, e leva até a xícara. Às vezes nem chega a encostar no leite, mas só de reproduzir o ato, você já fica contente! E como você tem mania de segurar varias coisas com uma mão, seu pai fica sempre "brigando" com você, porque você pega todas as bolachas da mesa e não deixa nenhuma pra ele. Parecem duas crianças!

 
No domingo, fomos na chácara de um amigo, comemorar o aniversário dele. Você se divertiu muito com o João Pedro e com a Laura, que são mais velhos. Brincaram muito na areia e na terra! Nunca te vi tão imundinho! Você também adorou empurrar o carrinho de boneca da Laura. Com a Nicole, que é um mês mais nova, ainda não rola uma "química".

Você quase não comeu, dormiu pouco, mas ainda assim estava um anjo. Na hora de ir embora, pedimos para você devolver o carrinho da Laura e você, como se quisesse aproveitar "só mais um pouquinho", ignorou nosso pedido e continuou empurrando. Então pedimos mais algumas vezes e você devolveu, sem choro e sem briga, para surpresa de alguns adultos que estavam por perto. Ainda saiu dando tchauzinho e mandando beijos pra todo mundo. Ai ai...que orgulho!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Um ano e meio

Ontem o meu filhote completou 18 meses.

Dezoito meses!

Todos os dias antes dele dormir, quando ele vem do colo do pai para o meu, eu o abraço, beijo muito, e digo que ele é a coisa mais gostosa da minha vida. 

Desde que ele começou a interagir, que começamos a nos divertir juntos, eu dizia que o meu amor por ele era o maior possível. Ledo engano. Cresce a cada dia. Cresce junto com ele e com sua capacidade de entender o mundo e de nos surpreender.

Ele faz as mesmas coisas que qualquer criança desta idade faz. Mas eu, como qualquer mãe, acho que ele é demais, o mais esperto, o mais sagaz, o mais divertido e o mais inteligente.

Entre suas brincadeiras preferidas, está o esconde-esconde em volta da mesa. Chega a dar gritos de euforia quando percebe que vamos começar. Já gostou bastante de riscar qualquer papel com seus gizes de cera. Agora isto já não faz mais tanto sucesso.
Também se diverte com as tintas, mas isto requer mais disposição da minha parte, para a limpeza pós obras de arte!


Quase sempre me orgulho do seu apetite, do seu paladar variado (aquele menino que pedia brócolis no supermercado poderia ser ele, fácil, fácil) e da generosidade, já que ele gosta de dividir sua comida com os bonecos e com o passarinho de madeira que ganhou da babá.

De maneira geral, é um menino obediente e simpático. 

Depois de alguns ensaios, resolveu dormir noites inteiras. Ainda tem recaídas de saudades durante algumas madrugadas. Daí ele me chama e eu vou! Certo ele, porque neste frio, é bem mais gostoso dormir juntinho.
Ainda gosta bastante do mamazinho. Quando quer mamar, corre até o sofá, manda eu me sentar, batendo a mãozinha no assento e me olha com a maior carinha de felicidade.


Aprendeu a folhear os livros e revistas sem querer arrancar as páginas ou partes delas. E também já presta muito mais atenção nas figuras, identifica algumas coisas e não faz como a mamãe que olhava gibis de cabeça pra baixo. Quando ele vê que está do lado errado, inverte por conta própria!

Adora ficar no quintal, observando as formigas ou qualquer outro ser que se movimente.



Ainda não se aventura muito pelo mundo das palavras. Prefere apontar, fazer barulhos e gestos que expressem o que ele quer dizer.

Já faz uns três meses que ele aboliu definitivamente a chupeta, que já não era muito usada! De mamadeira ele também não quer saber. Nem eu! Nem o copo de transição é muito usado. Ele gosta mesmo é de tomar água e suco em copo normal. De vez em quando se arrisca a comer sozinho. Mas na maior parte do tempo, é como a maioria dos meninos, meio preguiçosinho.

Tem uma mania muito engraçada de segurar varios objetos com uma única mão, que podem ser colheres, gizes, peças de encaixar, papéis, etc.

Gosta dos cachorros e gatos da vizinhança, mas ainda tem um pouco de medo deles. A Mel (uma cocker fofinha que mora no fim do nosso quarteirão), é nossa amiga. Recebe nossa visita diariamente no fim da tarde. Parece que até ela já se acostumou com esta rotina.

Adora mexer nos nossos calçados. Ainda não se arriscou a calçar um "normal". Mas gosta de colocar este aqui e treinar para ser palhaço:


video

Nunca teve nada sério com relação a saúde. Este ano, nem resfriado ele ficou. Teve uma única tarde de febre, quando os molares estavam aparecendo. Só!  Graças a Deus, meu pequeno herdeu de mim o maior bem de todos, o mais importante, o mais valioso: saúde!

Assim é o meu Gustavo com dezoito meses. Não mais um bebê, mas um molequinho. Um molequinho peralta e feliz. Que deixa meu coração pequeno para o tamanho do amor que ele me faz sentir.


Related Posts with Thumbnails