quinta-feira, 30 de setembro de 2010

9o mês

Comentei em alguns blogs que o Gu está passando por um salto de desenvolvimento e apesar das noites mal dormidas, das manhas e de só querer se alimentar no peito, o Gu anda brincando normalmente e está muito mais atento e muito mais esperto.
De uns dias pra cá ele SEMPRE acerta onde colocar a bolinha pra ela rolar pela rampa.
video
 
Também já está engatinhando. Antes ele tentava, mas se tinha pressa de chegar a algum lugar, ele se jogava no chão e ia rastejando para chegar mais rápido. Agora ou a pressa acabou ou a vontade de progredir aumentou.
 
Já entende o meu NÃO quando ele quer pegar a terrinha artificial da planta que tem aqui na sala e sempre quando ele tenta chegar perto do vaso, eu repreendo e ele me olha com a carinha mais sem vergonha do mundo, com aquele sorrisinho amarelo tipo, "eu tentei, mas você me pegou de novo".
 
Anda tentando ficar em pé sem apoio. Mas só o que tem conseguido por enquanto, é amaciar as polpas do bumbum.
 
Tem a péssima mania que quase todas as crianças tem, de querer quase entrar na TV para assistir. Eu sempre coloco ele sentado longe e aos poucos ele vai chegando perto, até ficar praticamente embaixo da TV e com a cabeça toda caida para trás.
 
Se encanta por qualquer novidade, desde o olho mágico da porta até o postinho de cimento que ele viu ontem na calçada.

Tem mania de esfregar o rosto quando está bravo e sempre aparece com arranhões no rosto, já que as unhas crescem na velocidade da luz.

Gosta de qualquer coisa que inclua água, pode ser o banho, fontes, piscina e gostou também do mar, como eu já falei antes.


Ri a toa, a toa... parece a mãe! Chora de um jeito irritante a cada troca de fraldas.


Está mais grudentinho e é só chamar para o colo que ele se estica todo pra gente pegar! E apesar de eu ficar cansada, a-d-o-r-o  o bracinho dele segurando no meu pescoço!

Eu poderia ficar aqui escrevendo um monte de coisinhas sobre ele, mas o mais intrigante, o mais gostoso, o mais apaixonante é perceber como esta pessoinha - que não ainda nem fala, que não anda, que me acorda muito na madrugada, que me dá um trabalhinho bom durante o dia, que me tira do sério varias vezes na semana, etc - é capaz de transformar um dia ordinário, numa deliciosa aventura de viver!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Garoto propaganda, bombeiro, zoo e estréia na praia

Os assuntos acumularam e hoje vou escrever um pouco de varias coisas.

Quinta feira, levei o Gu para passear num shopping aberto aqui perto, que tem fontes de varios tipos. E tem uma daquelas que jogam jatinhos de água do chão que a criançada daqui adora. E as mães levam mesmo. Chegam na fonte, tiram a roupa dos filhos (com idades que vão desde bebês que nem andam ainda, até crianças de uns 10 anos) e lá vai a criançada se molhar. E nem tava tanto calor assim. Mas e daí né? O que vale é a diversão.
Bem, mas a novidade é que enquanto estávamos lá observando a criançada, fomos abordados por uma senhora que perguntou que se eu tinha interesse em levar o Gustavo para fazer um teste para comerciais de TV. Ela me deu o cartão da agência e disse que em alguns dias alguém vai me ligar. Que meda! rsrsrs...
Se virar alguma coisa, depois eu conto!
Mas se não virar nada, já foi o suficiente para eu ficar inchadona de orgulho!

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-

Sexta, o Carlos foi cortar o cabelo. Eu e o Gustavo fomos junto e ele adorou ver toda a movimentação do salão... secardor pra lá, tesoura pra cá, gente passando e brincando com ele.. tudo que ele adora. Só que como toda diversão, esta não durou para sempre e em determinado momento ele se irritou e eu sai com ele pra passear a pé. Na calçada tinha um homem do corpo de bombeiros, que tinha acabado de comprar um lanche e estava esperando os seus colegas que ainda estavam dentro de uma lanchonete. Então que quando passamos perto dele, ele começou a "conversar" com o Gustavo, que "respondia" todo sorridente, mostrando este novos toquinhos de dente:


E não é que o grandão (estilo 3x4) se derreteu todo e disse que o Gu era um bom garoto e que merecia um distintivo de bombeiro igual ao dele, etc, etc, etc. Ele entrou na lanchonete e pouco depois saiu, já com seus outros colegas e entregou isto na mão do Gu:
 

Daí entraram no caminhão dos bombeiros e foram embora acenando para o Gustavo, que estava hipnotizado olhando para o caminhão.

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


Agora sobre o fim de semana
Sábado, foi o 6o aniversário do meu casamento, e nós fomos passear no famoso zoológico de San Diego, um dos maiores do mundo. Além de todos os bichos tradicionais de um zoológico (que me encantam de qualquer jeito), lá tem dois dos animais mais fofos do mundo na minha opinião: coalas e ursos panda!

O urso panda é um bichinho complicado... a femea só aceita o acasalamento de 1 a 5 dias por ano, normalmente nasce só um filhote, e quando nascem dois, a mãe escolhe um para criar e o outro é abandonado para morrer. Se alimenta basicamente bambu e na natureza, está ameaçado de extinção, porque as florestas da China, onde vivem estão sendo devastadas.

Bem, antes de entrar para ver o panda, tiramos uma foto com fundo verde. E na saída, apesar do preço salgado, não resistimos e compramos a foto montagem, que vem com data e tudo.



Alguns flagras no zoo:

 

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


E ontem, um dia lindo e quente, foi o dia perfeito para o Gustavo fazer a sua estréia na praia!  Tá certo que não fomos curtir a praia propriamente dita. Fomos passear em Huntington Beach, mas a gente não podia perder a oportunidade de colocar os pezinhos do nosso filhote na areia e ver qual seria a reação.



A água estava bem fria e apesar do calor, na beira da água ventava muito e um vento bem fresco. Então nem tirei a camiseta dele. Só coloquei o bermudão de nadar e lá fomos nós. A princípio ele não gostou muito. Mas depois que colocamos ele sentado na areia e ele começou a mexer na areia, a sentir o pezinho afundar, depois que ele percebeu que tinha água envolvida na brincadeira, ele relaxou e se divertiu. Ficamos na beira da água pouco tempo, mas acho que foi o suficiente pra saber que ele vai gostar quando formos para curtir a praia mesmo.







quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Porque fácil mesmo é ser mãe do filho dos outros

Antes de ter o meu filho eu "achava" um monte de coisas.

- Achava que quem queria ter parto normal e não conseguia era por fraqueza
- Achava que quem não amamentava no peito, sempre dava desculpa esfarrapada
- Achava desnecessário dar chupeta
- Achava que criança birrenta era falta de educação por parte dos pais
- Achava cama compartilhada o fim da picada

E por aí vai...

Daí que o Gustavo nasceu! E eu entendi melhor um monte de coisas. Inclusive que eu era uma baita de uma preconceituosa e julgava sem ter conhecimento de causa. Sobre os preconceitos que citei acima, hoje tenho a dizer que:

-O parto normal é um parto mesmo. Muito mais pela cultura da cesárea que toma conta da classe médica do que pela dor do parto em si. Mas este assunto já foi muito bem explorado pela Paloma aqui.

-Passei por poucas e boas no início da amamentação, coisas que quase me fizeram desistir e então entendi muito bem porque isto acontece com bastante frequência.

- Existem crianças calmas e existem crianças agitadas. O Gustavo entra mais na segunda categoria e hoje chupa chupeta, que em inglês se chama PACIFIER, não por acaso.

- Para desespero do pai, que ainda acha isto horroroso, o Gustavo se joga pra trás por qualquer coisa. Às vezes até por brincadeira. Este é um gesto que entrava fácil na lista das birras.

Mas o assunto de hoje é mesmo sobre a cama compartilhada.

O Gustavo ainda acorda varias vezes durante a noite. Não acredito que seja fome. Ele simplesmente acorda e não consegue voltar a dormir sozinho e precisa do peito para adormecer de novo. Ou seja eu tenho que me levantar varias vezes.

Quando o Carlos veio para os Estados Unidos, estávamos em pleno inverno no Brasil e eu fiquei 50 dias sozinha com o Gustavo. Nos primeiros dias, ainda mantive o comportamento de levantar-pegá-lo no berço-amamentar-colocá-lo no berço de novo.

Mas com o frio e a minha cama vazia, passei a levá-lo para a minha cama. E foi um sucesso! Eu descansava muito mais, já que não precisava me levantar nem esperar ele dormir de novo para eu dormir também. Muitas vezes acho que eu adormeci antes dele, que ficava no peito até quando queria e quando eu acordava, ele já estava de lado, no seu cantinho.
Neste período, percebi que ele acordava menos vezes.

Quando chegamos no Texas, ele ficou agitado com todas as mudanças e voltou a acordar muitas vezes. Lá ele dormia no chão ao lado da nossa cama, e eu acostumada que estava com um sono um pouco mais continuo, na primeira vez que eu descia da cama para amamentá-lo, eu acabava ficando por lá mesmo o resto da noite.

Aqui na Califórnia, nós compramos um bercinho portátil pra ele. Mas além das novas mudanças (o clima mais frio trouxe para o Gu, um resfriadinho, noites de nariz entupido e tosse), os dentinhos de cima estão nascendo, resultando em manhas e choros. Como a cama daqui é king size e comporta nós três com folga, tenho levado ele para a nossa cama no primeiro despertar da madrugada e ele acaba dormindo com a gente o resto da noite.

Ainda posso morder a língua pelo que vou dizer, mas eu não acho que o Gustavo está se acostumando com a cama compartilhada. Acho que se eu decidir colocá-lo no berço todas as vezes que ele acordar, ele ficará bem. O problema é que eu sim, estou completamente acostumada em não ter que me levantar e não estou com vontade nenhuma de mudar isto por enquanto.

E que atire a primeira pedra, quem nunca "criou" o filho dos outros de um jeito e agora com os próprios filhos, faz exatamente aquilo que julgava errado e prejudicial.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A vida nos Estados Unidos!

Hoje faz um mês que eu e o Gustavo estamos aqui. Eu já morei aqui em outra época, mas como eu trabalhava, não dava tempo de fazer muitas análises. E também eu estava sozinha o que torna tudo bem mais chato e tinha um carro e diária na mão, o que me levava a só andar de carro e comer sempre fora. Mas agora vou fazer um balancinho de como tem sido a vida por aqui, até agora!

Viver aqui é tranquilo.
Saio pelo menos duas vezes por dia com o Gustavo para andar nos arredores. E digo: é bom poder sair de casa e deixar tudo onde estiver, sair e apenas trancar a porta. No Brasil, já que nossa casa já foi roubada duas vezes, a rotina de qualquer passeiozinho rápido de 15 minutos, inclui esconder todos os eletrônicos portáteis, bolsa, carteiras, relógios, etc, verificar se todas as portas e janelas estão fechadas, tirar as roupas do varal (porque tem sensor de movimento no quintal), ligar o alarme, sair, fechar as 3 fechaduras da porta e mais as duas fechaduras do portão e finalmente sair. Ufa, cansei só de lembrar....

O trânsito, mesmo quando congestionado, é suportável. Os semáforos são mais inteligentes e na maioria dos cruzamentos, mesmo com o farol fechado você pode virar a direita se não tiver vindo carro naquela faixa. Fazer retorno é permitido em quase todo cruzamento. As calçadas são decentes e sempre tem rebaixamento para cadeirante, carrinhos, etc.

As pessoas respeitam as regras da convivência em sociedade, e por exemplo, recolhem o cocô que os seus animais de estimação fazem na rua.

Saquinhos de lixo disponíveis
em todo quarteirão onde
morávamos em Plano

Na maioria dos restaurantes, existem facilitadores que incentivam os pais a sairem com seus bebês e crianças, como os slings para bebê conforto e kits para colorir para entreter os mais crescidinhos.


Sling para bebê conforto.
Agora o Gu já senta em High Chair


Aqui é paraíso das compras. Mesmo para quem não é muito consumista, tem certas coisas que é difícil resistir. Para tudo tem uma promoção, sempre acontecem liquidações reais (não é só liquidação de vitrine para atrair cliente), e os preços das coisas comparados com os preços no Brasil, são realmente bons.

Trailer para acoplar na bicicleta e levar o bebê para passear!
Aqui, este modelo custa 89 dolares, no Brasil é difícil encontrar
e quando encontra, não sai por menos de 500 reais.
 Na cidade onde estamos e nos lugares que visitamos, os jardins são lindos, bem cuidados, floridos e as ruas são limpas.


Claro que nem todo lugar é assim, mas isto tudo é regra por aqui e não exceção.

************************************************************************************

Agora algumas fotos do fim de semana.

Sábado fomos em Los Angeles, caminhamos pela Calçada da Fama, passamos pelo Teatro Chinês, pelo Kodak Theatre, entramos no museu de cera da Madame Tussauds de Hollywood e passeamos pela Rodeo Drive.








E domingo almoçamos em uma cidadezinha histórica chamada San Juan Capistrano.






quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Ir ou não ir, eis a questão

Eu e o Carlos gostamos muito dos parques temáticos americanos, cheios de montanhas russas radicais, brinquedos que despencam e outras aventuras com muita adrenalina, tanto que passamos nossa lua de mel em Orlando (nada romântico, eu sei, mas extremamente divertido).
Mas além dos brinquedos radicais, os parques também são cheios de espetáculos lindos de se ver, musicais, queima de fogos, apresentações de artistas, acrobatas, malabaristas, etc, tudo da mais alta qualidade e sempre inseridos em um show que tem algum tema, como o Espetáculo do Rei Leão no Animal Kingdom, por exemplo. Tem também os shows de encerramento do dia (no caso dos parques da Disney) que são simplesmente de deixar a gente de boca aberta! *

Dito isto, estamos num dilema agora aqui na Califórnia.
Estamos a 15 minutos da Disneyland, 50 minutos do Universal Studios Hollywood e 1,5h do Six Flags. Isto só para citar os parques mais famosos.
Mas também estamos com um bebezinho de 8 meses e meio em casa!

A questão é, será que pelo menos nos dois parques da Disneyland que são coloridos, decorados com personagens, e que tem lá suas atrações até para os mais novinhos, vale a pena a visita? Será que o Gustavo vai se divertir ou vai se irritar? Será que vale a pena fazer um rodízio entre nós dois para cuidar dele enquanto o outro se diverte?

Tanta dúvida é porque o valor do ticket não está nada convidativo. Mas se pensarmos por outro lado, já que estamos aqui, porque não tentar né?

Eu, na minha eterna alma de criança, que se emociona com pouca coisa, acho que vale a pena!

* para quem quiser entender do que eu estou falando, este video mostra o novo show de encerramento do Califórnia Adventure, da Disneyland.
 

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Babies

Já faz uns dias que li, no blog da Adriana, sobre o filme Babies. O filme mostra a vida de quatro bebês de diferentes lugares do mundo, desde o nascimento até os primeiros passos.
Eu fiquei tão encantada com o trailer e com outros videos curtinhos que resolvi colocar aqui pra vocês verem.

Vejam se não é lindo:

O trailer





Alguns videos curtos










segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Uma boa surpresa!

Depois de umas nove horas de "viagem", chegamos!

Saimos de casa com 3 horas de antecedência, mais 3 horas de voo (com direito a algum chororo e muita reclamação por parte do Gu), mais uns 50 minutos entre sair do avião, pegar as bagagens (que por incrível que pareça, neste voo que era doméstico estavam numa esteira que qualquer pessoa da rua tem acesso) e chegar na locadora de carros. Na locadora esperamos mais uns 40 minutos pelo menos. Mais uns 40 minutos de carro até nosso novo apartamento (onde só poderiamos entrar depois das 15:30h) e mais 1 hora de almoço.

O Gustavo ficou bem cansado e irritado. Além de tudo teve ue lidar com uma bela mudança de clima (dos 30 e poucos graus usuais de Plano para os 15 graus de Los Angeles no sábado) e mais uma atraso de fuso (agora estamos 4 horas atrás do Brasil)

Mas não é que o lugar é bacana? O apartamento é mais espaçoso, mais claro, e melhor distribuido do que o do Texas. No condomínio tem uns bosques internos, perfeitos para os passeios de carrinho com o Gu. A região é boa e tem um centro de compras e entretenimento bem pertinho.

No sábado mesmo compramos algumas coisas para abastecer a geladeira.

Ontem fez um dia lindo e apesar de estarmos meio cansados, só para não ficar em casa, fomos dar uma voltinha em Downtown Disney que fica a 10 minutos de casa.


Com esta dupla andando por aí, o Mickey que se cuide.
Mãe é tudo Pateta mesmo...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Garota eu vou pra Califórnia....

Estamos de mudança. Amanhã vamos para a Califórnia onde vamos ficar até dezembro. E apesar de não ter muito o que fazer aqui na cidade onde estamos agora, eu vou sentir falta dos passeios no lago.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Feriadão aqui também

Também tivemos um feriado prolongado aqui. Ontem foi o dia do trabalho! E como estes últimos dias foram lindos e de temperatura mais agradável aproveitamos para passear e conhecer algumas coisas aqui por perto.

SEXTA

Nosso feriadão começou com um jantar romântico (a três, claro) em um restaurante muito gostoso chamado The melting pot. Basicamente é um restaurante para comer fondue onde o garçon prepara o pot na frente do cliente. Além de um ambiente gostoso, a comida é ótima. Primeiro fondue de queijo: pão e maça verde para mergulhar no queijo fundido que você escolhe no cardápio. Depois fondue de carne que além de carne bovina, tem atum, frango, porco, legumes e uma espécie de um pastelzinho muito apimentado. Tudo isto para você mergulhar e cozinhar em uma mistura de ervas, óleo, vinho, etc que também pode ser escolhido no cardápio e para acompanhar uma variedade de molhos para temperar sua carne depois de pronto. E por último o fondue de chocolate - este não conseguimos apreciar com calma, porque o Gu acordou pouco antes de ser servido - onde o tipo do chocolate que vai ser derretido pode ser escolhido no cardápio. E para mergulhar no chocolate, além das frutas, já tradicionais, vem também pedaços de cheescake, brownie e marshmallow.  Tudo delicioso.


Gu ainda dormindo e a gente
esperando o fondue de carne
Já o fondue de chocolate,
o mocinho não quis perder! rsrs


******************************************************************************************

SÁBADO

Sábado não fizemos muita coisa. Almoçamos em um restaurante que serve comida brasileira, cujo dono é um Iraniano (casado com uma brasileira). A tarde fizemos nosso tradicional, cotidiano e gostoso passeio pelo bairro onde moramos, que tem sempre uma passadinha pelo lago, que eu adoro e o Gu também!


A noite ficamos vendo a fonte aqui pertinho de casa. É linda toda colorida e meio dançante (apesar de não ter música). O Gustavo nunca ficou tanto tempo parado vendo a mesma coisa. Impressionante! Quero uma fonte destas no quintal de casa!!rsrsrs




P.S. Justo neste dia eu sai sem a câmera, ou seja, o vídeo não foi feito por mim. Mas o youtube tá aí pra isto né, gente?


******************************************************************************************


DOMINGO

Domingo tinhamos planejado conhecer um museu em Dallas, mas acabou não dando certo então fomos o lugar onde o Kennedy foi assassinado.


Foi nesta rua aí no fundo. No lugar
exato, existe um X marcado no chão.
E este é o prédio de onde Lee Harvey Oswald disparou o tiro
e onde hoje funciona um museu.

Pausa para uma rápida pincelada sobre o caso:

O assassinato de John F. Kennedy ocorreu a uma sexta-feira, 22 de Novembro de 1963, às 12:30 horário local. 
Duas investigações oficiais concluíram que Lee Harvey Oswald, um empregado do armazém Texas School Book Depository na Praça Dealey, foi o assassino. O assassinato sempre esteve sujeito a especulações e dúvidas, sendo origem de um grande número de teorias de conspirações. O motivo nunca foi esclarecido totalmente, mas existem indícios de que a CIA ou o FBI estariam envolvidos no assassinato e que Oswald seria um agente secreto. O acusado negou ter disparado contra o presidente e nunca foi julgado porque dois dias depois, enquanto era trasportado sob custódia da polícia, ele foi assassinado.


E como tudo aqui vira museu ou memorial, neste caso não poderia ser diferente. Em dois andares deste prédio funciona o "The sixth floor museum". Também nos arredores construiram um monumento, o Kennedy Memorial Plaza.

Outras fotos legais das redondezas



Domingo à noite enquanto a gente caminhava em volta do lago, encontramos um casal de amigos com a sua filhinha (parecia coisa de cidade pequena do interior). E fizemos uma paradinha na frente da fonte colorida de novo.

Adultos posando para a foto, enquano o Gu e
a amiguina Ana estavam vidrados na fonte.


******************************************************************************************

SEGUNDA

Ontem fomos para Fort Worth para almoçar em um restaurante bem curioso. O Carlos já tinha ido e falou tanto do lugar que fiquei curiosa e quis conhecer. Logo ao passar pela porta de entrada o cliente se depara com uma enorme churrasqueira com as carnes todas assadas ali dentro. Você escolhe o tipo de carne que quer e a quantidade. A primeira surpresa: o cara pega a carne já pronta e coloca direto numa bandeja de plástico. Assim sem prato, sem papel, sem nada. Pois bem, depois passamos para uma outra parte onde eles pesam a carne e o cliente pode escolher alguns acompanhamentos.  Depois de pesada, a carne é enrolada em um papel, igual fazem em açougue no Brasil e a etiqueta do preço é colocada por fora. A segunda surpresa, ele pergunta se é pra comer lá mesmo ou para levar. Para comer lá, ele coloca na bandeja um papel dobrado ao meio (tá certo que é um papel especial, meio plastificado, senão não aguentava a umidade da carne e a gordura em alguns casos). E ao chegar na mesa, que é coletiva, o cliente abre o seu pacote de carne, abre aquele papel, coloca na mesa e o usa como se fosse o prato!!
É estranho, confesso. Mas as carnes todas estavam d-e-l-i-c-i-o-s-a-s (as vegetarianas que me perdoem)!



Depois do almoço demos uma volta da vilinha de Fort Worth, que é cidade dos cowboys e que representa bem o western americano. Homens e mulheres em seus cavalos, tipicamente vestidos com botas e chapéu, camisas e fivelas, carroças para passeio, bois para foto, muitas lojas com produtos típicos, tudo isto concentrados em um quarteirão bem pitoresco e que merece ser visitado por quem estiver na região de Dallas.



Gu, o prisioneiro mais feliz do mundo

Até tatu vira cowboy
  

Este é o famoso longhorn
Uma mamadinha sentados na espora
antes de voltar pra casa
Related Posts with Thumbnails