sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Coceira no cérebro

Desde que comecei a colocar o DVD dos clipes musicais do Cocoricó para o Gustavo ouvir e ver que eu tenho um problema. Sempre que eu acordo nas madrugadas para amamentar, e olha que isto tem ficado cada vez mais frequente, eu me pego cantando mentalmente uma ou outra canção.

Já imaginou? Pouco depois de me deitar, ali pelas 11 e tanto, ele acorda e eu lá: "todo dia a gente tem tem tem que levantar a a a a, dá uma espreguiçada uá, dá uma chacoalhada, brrrrr e vamos lá si do ré mi fá tomar café ié ié tomar café ié ié".
Não dá, né? E fica aqui o meu protesto, porque não tem nenhuma música que ensine "toda noite a gente tem tem tem que dormir, ih, ih, ih...dá uma bocejada uá, dá uma desabada, pá e vamos lá si do r mi mi mi mi mi mi...."

Depois à 1 da matina, tô eu lá: "quem sabe me responde, quem não sabe advinha, quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha" e dependendo do tempo que o Gu demora pra dormir de novo, dá até pra chegar na parte do "Ó duvida cruel, quem pos o primeiro ovo? Ninguém sabe, ninguém viu, então vamos tomar banho de rio."

Lá pelas 2, eu canto 'piquenique no quintal' (será que é fome?).

E no meio da madrugada ainda tem a parte escatológica de 'a história do cocô' ("ah coitado!")

Mas a preferida do meu cérebro é mesmo 'chuva, chuvisco, chuvarada'. Ele não resiste ao "bolo de cenoura com cobertura de chocolate quente, bom, muito bom, muito mais do que bom, é excelente."

E antes que me julguem, eu só coloco este DVD umas duas ou três vezes por semana, tá gente?

Se alguém ai tem este DVD e sofre do mesmo mal, por favor me fale, pra eu não me sentir tão louca. Ou pelo menos pra eu me sentir uma louca menos solitária.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Para descontrair, tranquilo?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A perda e a dor

Nos últimos tempos acompanhei a história da Aline e do Theo, assim como acompanho a história de muitas mães e seus filhos.

Mas no caso deles, além de todo sofrimento pelo qual eles passaram, acompanhei a história de um bebê que, apesar dos problemas, era só sorrisos e de uma mãe que era só fé, esperança e gratidão. Sorri, chorei, e me enchi de esperanças com as palavras de otimismo dela.

Hoje, no auge de sua dor, ela declarou toda a sua generosidade dizendo que "não poderia ser egoísta e insistir que ele ficasse".

Só posso dizer que admiro cada dia mais a força desta mulher e quero mandar publicamente meu abraço de conforto. Um abraço apertado e silencioso. De mãe pra mãe.

Deixando a preguiça de lado

Sábado fomos passear em Santa Monica, para conhecer o famoso Pier de lá.
Antes de chegar no Pier, sentamos em um gramado em frente a praia para dar o almoço do Gustavo.


E não é que depois do almoço, o meu mocinho resolveu deixar a preguiça de lado e começou a dar seus primeiros passos? Eu já tinha tentado segurar nas mãos dele pra ele andar, mas ele sempre dobrava os joelhos e sentava. Mas desta vez, sem nenhuma pretensão da nossa parte, ele simplesmente saiu andando. Morri! De orgulho, de alegria e de emoção.

Depois deste evento, ele se deu o direito de ficar chatinho o resto do dia.
A tarde coloquei ele em um balanço, mas ele não ficou muito a vontade. Talvez estivesse irritado com o vento frio, não sei.

Santa Monica é um lugar que vale a pena ser visitado. Um bairro elegante e bonito de Los Angeles. E segundo dizem, você ainda corre o risco de topar com alguma estrela de Hollywood pela praia. Como este não foi o nosso caso, deixo aqui só algumas fotos do local mesmo:





Aproveitamos que já estávamos perto e demos uma passada por Malibu.
Malibu tem 27 milhas (aproximadamente 43 km) de praias e definitivamente não é um lugar para turistas. Até onde percorremos a Pacific Coast Highway, só vimos casas (e que casas!), tanto na beira da areia (quem assistiu Spanglish tem uma idéia de como são estas) quanto na montanha. Quase não existem entradas para a praia. Parece uma longa extensão de praias particulares. Alguns poucos restaurantes, onde se paga uma fortuna para estacionar e pra finalizar a descrição, as praias em si são muito feias e cheias de pedras. Só deve ser boa mesmo para surfistas. Pelo menos as águas estavam cheias deles, mesmo num dia de mar parado... se eu fosse surfista ia preferir muito mais Itamambuca.


Chegando em Malibu

Como diz o meu marido, tem que colocar legenda,
senão ninguém nunca vai imaginar que isto aí é Malibu
Decepcionou? Eu também!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Finalmente

Depois de mais de um mês de passeios pela Target, Babies R Us, Macy´s e shopping centers (eu até que gosto, mas cansa né gente?), finalmente encontrei um parque gostoso para ir com o Gustavo nas quartas-feiras (esta semana foi quinta, também conhecido como ontem), dia em que ficamos com o carro.
Pois bem, saí de casa sem rumo certo e por acaso passei em frente a um lago. Na hora procurei um lugar para estacionar e depois de alguns minutos caminhando, descobri este cenário:


Um lago enorme com uma pista de caminhada em volta e gente andando, fazendo cooper, levando o cão para passear e até pescando.
A lago é cheio de patos e marrecos totalmente sem vergonha, que se aproximam da gente sem a menor cerimônia. O Gu adorou ver os bichinhos nadando, mergulhando e fazendo barulho.



E ainda tem um parquinho (com aquele balancinho, Thais,  que eu queria tanto colocar o Gu), onde vou levar o Gustavo da próxima vez, porque ontem ele dormiu durante o passeio (a carinha de sono na foto abaixo denuncia...)
Mas antes da soneca, enquanto parei para colocar uma blusa nele, fomos cercados por varios marrecos (estou falando que é marreco porque eu vi voando, então sei que não são patos, tá? Mas também não faço idéia se são marrecos mesmo ou se são só parente deles)

    

Só tirei duas fotos porque eram muitos mesmo e começaram a chegar cada vez mais perto e eu fiquei com um pouco de medo. Mas acho que eles só estavam querendo ver se a gente ia dar um pãozinho pra eles.

E o clima de outono chegou mesmo por aqui. Céu cinza, arzinho gelado, e muitas, mas muitas folhas pelo chão.


quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Lista de desejos


Já comentei aqui no blog que eu não sou das mais consumistas. E nem sou muito antenada sobre as novidades do mundo infantil.

Tem gente que compra, antes mesmo do bebê nascer, quase tudo o que o filho vai precisar nos primeiros 3 anos de vida.
Eu sou alienadona neste quesito. Pra vocês terem uma idéia, até hoje o Gustavo não tem um cadeirão. Eu o alimento no carrinho mesmo. Tá certo que agora estou sentindo necessidade do dito cujo e vou comprar, mas de modo geral, eu não saio comprando as coisas só por comprar. Sou bem comedida.


Huggies Little Movers Jean DiapersNo entanto, este estilo de vida consumista dos americanos está me corrompendo. Além dos preços serem realmente bons, para tudo tem cupom de desconto. Um exemplo:  Você já viu aquelas fraldas jeans da Huggies? São simplesmente uma graça. Super fashion. Numa situação normal, eu nunca compraria, mas veja se dá pra resistir: pela Amazon um pacotão com 72 fraldas sai por 14 dolares (hein?). E ainda vieram dois cupons de desconto de 2 dolares cada um para eu usar em qualquer estabelecimento, na compra de outras fraldas Huggies.

Também comprei varias roupinhas que além de serem mega confortáveis e de ótima qualidade, ainda são bem fofas e com cara de criança e tudo isto por precinhos muito convidativos. A maioria da Carter´s que ele já está usando, porque eu trouxe pouca roupa pra ele e também porque a variação de temperatura foi grande desde que saimos do Brasil.
Brinquedos foram poucos e pequenos, já que vamos ter que levar muita coisa na volta. Mas confesso que morro de vontade de comprar um ou outro que eu acho que ele iria adorar.
Tenho uma listinha de desejos (o que não significa que serão todos comprados) e gostaria da ajuda de quem lê este bloguitcho para dar opiniões.
- Cadeirão:  para quem já usa, alguma recomendação especial? O que é que precisa ter e o que é "frescura"?
- Roupas e sapatos para o próximo ano.
- Grades e ou portões de segurança: minha casa tem escadas e nesta fase de bebê curiosinho que ele está, acho que vai ser necessário. Só não sei ainda como vamos instalar, visto que de um lado é parede e do outro corrimão :-{
- Aquele carrinho para acoplar na bicicleta e levar o Gu para passear!
- Tapete de borracha, tipo E.V.A. Aqui o apartamento inteiro tem carpete, então não vi necessidade. Mas no Brasil é tudo piso frio. Ainda vale a pena comprar, para amortecer as quedas quando ele estiver aprendendo a andar?
- Balanço de porta (na verdade é pra criança ficar pulando, então seria o que? um pulador de porta?) igual este aqui. Eu acho que ele iria amar!
 
- Assistente de primeiros passos. Eu acho bem bacana por dois motivos: primeiro porque poupa a coluna de quem vai acompanhar a pessoinha que está aprendendo a bater perna pela casa e segundo porque eu tenho pavor de ver os bracinhos do bebê esticados pra cima quase se separando do corpo, o que invariavelmente acontece, sem que o dono da coluna que está doendo perceba. Tudo bem que dá pra improvisar um deste com um pedaço de tecido comprido, mas é menos seguro que este aí, que é próprio para a coisa, né?
Upspring Baby Walking Wings Learning To Walk Assistant


- E por último, livros! Não apenas livros de bebê, mas infantis também. Se alguém tiver dicas sobre este item, vou gostar também!

Isto é o que eu me lembro no momento. Mas esta lista pode sofrer alterações a qualquer momento, especialmente depois de uma passeada pelas lojas de produtos infantis, quando eu sempre saio com algumas vontades a mais.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Coisas de menino?

Será que esta delicadeza toda é exclusividade dos garotos?
Reparem na carinha do sujeito.

video

Agora me digam se o vizinho de baixo tem ou não tem motivos para me amar!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Cerveja

Hoje é sexta-feira, não está quente aqui e nem sol tem.
E eu não sou viciada em nenhuma bebida alcólica não, viu gente.
Mas eu bem que estava precisando de uma.

Aliás, estou precisando de varias coisas...

...almoçar com calma, mastigar direito, apreciar a comida.

...dormir mais.

...passar algumas horas em companhia só de mim mesma.

...preciso também de colo, carinhos, beijos e abraços.

Porque vamos combinar que ser mãe em tempo integral cansa né?
E se for de um filho eletriquinho então...
Fico pensando se não vai rolar um recall pra colocarem nele o chip da calmaria que veio faltando.

Daqui uns dias é halloween aqui nos states e eu poderia facilmente trabalhar no Halloween Horror Nights, sem nem precisar de fantasia, tamanha é a aparência de acabada da pessoa que vos escreve. Pelo menos é assim que eu me sinto.

Diante disto, me dei o direito a tomar uma cerveja sim!
Em casa mesmo.
Sozinha mesmo, ou melhor, na companhia da minha sireninha que funciona no esquema 24/7.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ler faz crescer

Este é o nome de um projeto do Banco Itaú para o desenvolvimento das crianças do Brasil, através da leitura.
Neste projeto serão distribuídos gratuitamente 8 milhões de livros infantis.
A coleção Itaú de livros infantis é feita de 4 volumes e a proposta é que você leia estes livros para os seus filhos e depois repasse para outra pessoa fazer o mesmo.

Para receber o seu kit, basta preencher um cadastro nesse link aqui!
E boa leitura pra todo mundo!

Carla, obrigada pela dica!

domingo, 10 de outubro de 2010

O primeiro acidente

Quando está no carrinho, o Gustavo anda com mania de se debruçar pra frente pra olhar o chão. O cinto do carrinho não é de 5 pontos (aquele que prende no ombro também), ele só prende na cintura e entre as pernas. Então o tronco fica livre e ele puxa esta parte preta, que está na frente do pé, para cima e fica todo dobrado pra frente. Esta foto é de dois meses atrás, quando ele começou a fazer isto.



Daí que ontem, durante um passeio no parque da Universal Studios Hollywood, eu desamarrei ele na fila de um show porque ia pegá-lo no colo. Ele já estava meio irritado (com sono) e inquieto. Neste momento o carrinho estava de frente pra mim e eu estava sentada em uma muretinha. Alguns apressados começaram a se movimentar passando na nossa frente. E eu me levantei da mureta e coloquei o carrinho na minha frente. Não sei dizer quantos segundos se passaram até que o Carlos falou "ele não está desamarrado?". Mal deu tempo de responder. Quando eu olhei pra ele, o bumbum já estava levantando do carrinho e ele caiu.

Não dá pra descrever a sensação. Não consigo. O Carlos chegou a segurá-lo, mas ele bateu o rosto no chão. Os momentos seguintes foram bem tensos. Nem lembro como saimos da fila, só sei que minutos depois eu estava no banheiro tentando lavar o rosto dele.

Quando eu percebi que a boca estava sangrando levamos no First Aid do parque e a enfermeira disse que parecia só um cortinho pequeno na gengiva e que ferimentos na boca, costumam cicatrizar rápido.
No caminho para o estacionamento, ele dormiu e só acordou aqui perto de casa, já todo alegrinho e saltitante, como se nada tivesse acontecido.

Só uma mãe com sentimento de culpa (e a gente sabe que 99,999% das mães já sentiram isto por um motivo ou outro) pode entender o que se passou na minha cabeça durante os 50 minutos do trajeto de volta.

Hoje, o que restou do tombo, foi um narizinho vermelho e um pouco ralado.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Produção por demanda

O corpo é máquina muito perfeita mesmo, né gente?
Eu sempre achei incrível ver aqueles livros que mostram os órgãos todos que a gente tem e ficava pensando, como pode caber tudo isto aqui dentro! E ainda tem as veias, artérias, os músculos, os ossos, etc.  Além disto, é curioso saber que tudo funciona tão sincronizado, tão perfeito e tão automático.
Semana passada parei pra pensar nisto de novo.

Quando o Gu nasceu, os peitos estavam enormes e vazavam direto. Ele mamava devagar e com mais frequência. Aí ele foi aprendendo e ficando mais forte e começou a mamar mais rápido e ficava mais tempo sem mamar. E mesmo com o acúmulo de leite, os peitos já não jorravam leite como antes. A minha produção foi se adaptando ao ritmo dele.
Então começaram as papinhas. As mamadas diurnas que já eram espaçadas, ficaram mais raras. Foram varias as vezes que ele passou sem mamar nenhuma gota de leite durante o dia. Mas a noite era o mesmo beberrão de sempre.

E então que às vésperas de completar 9 meses, talvez incomodado pelo nascimento dos dois primeiros dentes de cima, talvez em crise por estar passando por um salto de desenvolvimento, ou talvez ainda pela angústia de perceber que somos duas pessoas diferentes, ele começou a rejeitar qualquer tipo de comida que eu oferecia. Logo ele, meu bebê bom de prato, só queria o peito. Passou uma semana só no leite materno. Algumas vezes eu pensei que ele estava sugando só o meu amor. Pensei que não tinha tanto leite para alimentá-lo novamente de forma exclusiva. E é aí que corpo me surpreende de novo!  Numa escorregada de boca que ele deu, eu vi o jatinho de leite jorrando forte e molhando tudo em volta.

Não é maravilhoso?

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-

E por falar em amamentação, o Ishtar Sorocaba finalizou um projeto muito bonito de um calendário que  defender a amamentação e maternidade consciente. Participaram como modelo, mães que frequentam ou já frequentaram os encontros do grupo, e seus filhotes.  A fotógrafa foi Kelly Stein que faz fotos de gestantes, nascimentos, bebês e famílias na região de Indaiatuba e Campinas. A Kelly disponibilizou no seu site, uma prévia da fotos, que ficaram lindas!
Os calendários serão vendidos e quando eu tiver mais informações, eu coloco aqui no blog.
Parabéns meninas!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Disneyland

Depois da dúvida, decidimos nos aventurar por um parque com o Gustavo. Achamos que um bom começo seria um dos dois parque da Disneyland em Anaheim e escolhemos o Disney´s Califórnia Adventure.
Pois bem, na sexta fomos comprar os ingressos e vimos muitas crianças e bebês fantasiados em Downtown Disney, por causa do Mickey's Halloween Party que acontece todas as terças e sextas feiras de outubro.
Esta época do ano é praticamente um carnaval para as crianças. Mas os pais não ficam de fora, também tinha adulto fantasiado de tudo o que você possa imaginar. Estava engraçado...


No sábado, pensamos que o parque estaria cheio, mas para nossa surpresa, estava bem tranquilo.

Para quem não conhece a Disney, na entrada de toda atração existe um painel mostrando uma estimativa do tempo que você vai esperar na fila, assim as pessoas podem se programar melhor. E neste dia a maior tempo de espera que vimos foi de 30 minutos. Também existe um ticket gratuito chamado FastPass, que está disponível nas atrações mais populares. Com este ticket, você tem uma faixa de tempo para entrar na atração sem pegar a fila normal e economiza tempo.

Agora para quem vai com bebê, existe outra facilidade que não conhecíamos. Em algumas atrações é possível utilizar o recurso "Rider swap" que significa que um adulto brinca na atração enquanto o outro espera com a criança. Depois fazem a troca e o segundo adulto não precisa entrar na fila normal. Ele entra com privilégios e quase não precisa esperar. Bacana né?

Heimlich's Chew Chew TrainCom estas facilidades e com movimento abaixo do que esperávamos, conseguimos aproveitar bastante o dia. O Gustavo foi com a gente em algumas atrações, como os shows em 3D (ele foi sem os óculos, claro) e a roda gigante com gôndolas que balançam, que o pai achou meio radical pra ele. Mas ele ficou super tranquilo. Acho que gostou do balancinho. Também andei com ele neste trenzinho em forma de centopéia, cheio de coisas coloridas em volta e "comidas" que soltam cheiro, para a centopéia ir comendo no caminho. E ele observava tudo atentamente. Tiramos foto com o Pluto, com o Mickey e ele foi paparicado pelo Tico e Teco...uns fofos. Ele comeu pão no "The Bakery Tour" e adorou a tortilha no "Mission tortilla Factory".  No fim do dia, assistimos o novo espetáculo de encerramento deste parque, chamado World of Color que é maravilhoso como todo show de encerramento de qualquer parque da Disney. Em resumo, foi um dia delicioso.

Eu recomendo para quem tem criança e para que não tem. Ou para quem é um pouco criança, como é nosso caso aqui em casa! :-p
Vale a pena!


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Mãmãmã

Ontem não teve bolo, não teve embrulho para abrir, nem foto nós tiramos (logo eu que amo fotografia).


Mas meu filhote me deu um presente bem especial. Voltando do almoço, ele já cansado e com fome, pronunciou em alto em bom tom:  "Mãmãmã"

Embora ainda não seja um "mamãe" redondinho, emociona né, gente?

Meu presentinho de todos os dias

Sábado fomos em um parque da Disney e depois vou colocar algumas fotos e escrever alguns detalhes.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Velha não!




Fim de semana chegando, aniversário também (vou ficar mais velha na idade, mas espero ficar cada vez mais jovem de espírito), perspectivas de mais um fim de semana de sol e céu azul de doer os olhos. Passeios em vista, filhote no colo, marido do lado. O que mais eu posso querer?
Que eu tenha saúde e disposição para cuidar do meu pequeno até quando ele precisar de mim.
Não é pedir muito, né?
Related Posts with Thumbnails