sexta-feira, 18 de junho de 2010

Fim do aleitamento? Não mesmo!

Estamos chegando perto de um marco na vida do Gustavo: o marco dos 6 meses de vida.

E com isto, começo a pensar em como vai ser a introdução de outros alimentos na "dieta" do meu filho. Será que ele vai gostar? Será que vai dar trabalho para comer? Será que vai ser curioso com os novos sabores?
Mas outro dia fiquei pensando, porque o ideal é começar com outros alimentos aos 6 meses e não aos 4 ou aos 8.

Existem varias linhas de pensamento a respeito disto, todas levando em conta que é aos 6 meses, EM MÉDIA, que os bebês:

- aumentam sua necessidade calórica,
- alcançam a maturidade do sistema digestivo,
- tem capacidade de mastigar e não somente sugar,
- são surpreendidos com o nascimento dos primeiros dentes,
- e até mesmo que começam a sentar sozinhos, já que nesta postura é mais fácil engolir sem voltar.

Não sei o que é mito ou verdade nisto tudo, mas sei que nenhum bebê é igual a outro e suas capacidades, necessidades e vontades, também são muito diferentes.

Sendo assim acho importante registrar que a partir dos 6 meses, outros alimentos são introduzidos para complementar o aleitamento materno e não o contrário.
Aqui em casa, o leite materno vai continuar sendo o principal alimento por um bom tempo ainda.

Muitas vezes a ansiedade da mãe para ver o seu bebê comendo é tanta, que no dia que o bebê completa 6 meses, ela prepara um belo pratão de uma papinha qualquer e espera que o seu filho coma aquilo tudo como se fosse um manjar dos deuses. Tipo aquela ilusão que a gente tem quando é adoscelente, de que quando fizer 18 anos, a vida vai mudar, sabe?

Já que sabemos que as coisas não são bem assim, vou listar algumas coisas interessantes que tenho lido sobre a introdução de novos alimentos:

Consistência
Temos que pensar que estamos espessando a alimentação, saindo de uma textura líquida, para uma pasta que deva ter uma consistência de purê. Não é legal bater no liquidificador ou passar no processador, porque a idéia não é entrar com sopinhas e caldos tão ralos quanto leite. O ideal seria amassar ou raspar. Às vezes quando tem pedacinhos, tem criança que tem nauseas e vomita, por isso vale a pena usar a peneira, que é melhor do que o liquidificador. Assim o alimento vai ficar pastoso, mas não quase líquido o que estimula a mastigação (mesmo sem dentes).

Sabores
Depois de meses acostumado ao leite, é provável que o sabor adocicado das frutas seja mais bem aceito e é por isto que a indicação é iniciar com frutas raspadas que devem entrar no lugar de uma mamada ou outra, de preferência no começo ou meio da manhã e meio da tarde. Como o sistema digestivo do bebê ainda está se acostumando, é bom não exagerar na dose e começar com frutas mais suaves, como maçã, banana, mamão ou pêra.

O intervalo para iniciar com as papas salgadas, fica a critério de cada mãe. Mas assim como as frutas, devem ser introduzidas aos poucos. E a tendência é que o bebê demore mais para apreciar o gostinho e a consistência das papas salgadas e que faça muita cara feia até gostar. O segredo neste caso é a repetição e paciência.

E para terminar, é bom lembrar:

A fase de introdução de alimentos, é novidade para o bebê e comer não vai passar de uma brincadeira para ele. As cores nos alimentos, a textura, a forma em que é apresentado, tudo é instigante. Ele vai pegar a comida, pode colocar na boca, cuspir na mão, olhar e botar na boca de novo, e tudo isso faz parte do processo, que não é um processo nem requintado nem limpinho.
Então, só me resta desejar boa sorte para quem, como eu, vai entrar neste período engraçado, gostoso e sujinho das papinhas.

Referências: Blog do Cacá e site Babycenter

4 comentários:

Juliana disse...

Amei o seu post Fabi, que delícia é dividir com as amigas virtuais estes momentos parecidos né. o pediatra da Carolina é ótimo e concorda comigo que o leite materno é o principal alimento até um ano de idade pelo menos, o resto sim é que é complemento. Beijo pra vcs e boas papinhas!

Lia disse...

Fabi, adorei o post. Estou justamente na fase de pesquisar sobre a introdução dos alimentos sólidos, que pra Emília deve começar em poucas semanas. Ela já está dando todos esses sinais (maior necessidade calórica, dentes e mastigação. Ela passa o dia mastigando). Só estou esperando ela sentar com mais autonomia, porque o tronquinho dela ainda fica curvo e pressiona o abdomem, de modo que ela sempre golfa quando senta!
Escreva mais sobre o assunto, que eu tô pegando seu bonde!

João ou Julia ? disse...

Fabi,
O que você escreveu é a mais pura verdade , a introdução dos sólidos não é tão fácil quanto pensamos , e mesmo que na primeira semana ele aceite tudo numa boa , pode ter um baita rejeição na segunda semana e por aí vai ! Aqui em casa até hoje a papinha salgada dá o que falar!

Vivian disse...

O trabalho vai dobrar...rs
Mas é uma delícia inventar papinhas diferentes pra eles. E sempre terá a preferida. Gá se adaptou bem, aliás ele amou as papinha desde a primeira e continuou mamando por um bom tempo ainda.
Bjos

Related Posts with Thumbnails